Home Sobre o Blog Quem somos Contato Midia Kit Categorias


opiniao-2 category image
6 de fevereiro de 2017

Não tem jeito fácil de começar esse post que certamente é o mais pessoal meu que haverá aqui no Chá, vocês sabem que eu não sou de falar muito de mim em canto algum (um tantinhozinho-inho a mais no Twitter, talvez, haha).

Já tem um tempo que o sumiço aqui é maior do que o que eu gostaria e mais duradouro do que imaginava. Há meses eu dizia pra mim mesma que “é só uma fase ruim, a disposição volta”, mas no fim das contas, não tem muito essa de fase ruim como justificativa pra não fazer algo. Só as pessoas próximas sabem, mas eu passei por muitas e péssimas nos últimos anos…resumindo muito bem resumido, absolutamente todos os planos (pessoais e profissionais) que fiz desde sempre pra minha vida “deram ruim”, além de momentos tristes/difíceis na família, certezas antigas completamente desfeitas, tudo durante a existência do Chá.

No entanto, eu nunca estive mais em paz comigo quanto agora e nem mais agradecida por tudo que aconteceu e que me deixou mais forte e mais auto consciente. Uns acontecimentos assim, ocorrendo de forma seguida (e em alguns momentos até simultaneamente) mexem nas estruturas de qualquer um e deixam umas lições profundas em quem esteja disposto a aprender. E eu me dispus.

Depois do turbilhão a gente respira, olha em volta e recolhe os cacos, cola os pedaços, se refaz por inteiro. O tempo que leva não importa muito, importa é que no meio desse processo sobram só os valores que ainda te mantém em pé. As pessoas e coisas que te são mais caras. A lista de necessidades que parecia não ter fim, diminui vertiginosamente depois que você não tem “nada” e enxerga que na real nem precisava de tanto assim pra se sentir satisfeito. Com isso, as prioridades mudam…e as minhas em relação ao blog e à algumas coisas na minha vida mudaram numa volta de 360º e é por isso mesmo que resolvi escrever fechando mais um ciclo em meio a outros tantos.

Foram muitos momentos preciosos vividos com essas serumaninhas serelepes chamadas Mayana, Marianna e Natália <3

 

Fazendo jus ao nome do blog

Fazendo jus ao nome do blog

O dia que fizemos uma festinha (uma daS, né!) toda DIY e meu quintal virou cenário de Tumblr/Pinterest <3

O dia que fizemos uma festinha (uma daS, né!) toda DIY e meu quintal virou cenário de Tumblr/Pinterest <3

IMG-20150809-WA0062

IMG-20150926-WA0004

Sendo gente grande e partilhando dicas, #dizque

Vocês praticamente não nos viram juntas em eventos glamourosos por aí, mas se procurar em bar… (foto sem produção e fora de foco mesmo porque eu quero é mostrar a vida real haha)

Várias amizades iniciadas e retomadas com “ei, eu adoro ler o Chá!”, umas amizades que eu nunca nem ia imaginar ter com umas blogueiras (se eu for citar de uma por uma, vai dar briga, cês sabem quem são <3) e blogueiros lindos (Oi, André <3), trocentos ~eventos e festinhas~ pra morrer de rir com esse povo animado e que me tiravam dos momentos de bad e da minha toca (a muito custo, verdade seja dita) e por quem eu vou sempre torcer pra que brilhem cada vez mais.

IMG-20150118-WA0013

Metade das bonitas porque é missão impossível reunir todas!

IMG-20160213-WA0024

~góticos do rio negro~

Eu também fico muito feliz de ter ajudado a escrever a história do Chá e termos ido na contramão de muitas coisas em tempos de “sigo de volta”/ “instablogs”/”digital influencers”, webcelebridades de 50 mil seguidores do dia pra noite – e ficarmos satisfeitas em pagar o preço por insistir em conteúdo próprio e autenticidade.

Por fim, a vida é feita de ciclos e ainda bem que é assim. Cada fim anuncia um recomeço, com novas possibilidades no que quer que seja. O novo por vezes assusta, mas é libertador reconhecer o ponto de encerramento de algo e ter coragem de encarar recomeços. Depois de muito me observar, concluí que cheguei nesse fase e que minhas necessidades me levam para outros rumos. Por isso fica aqui meu muito obrigada a todo mundo que trocou ideias comigo ao longo dos posts, aos que me fizeram boas críticas, sugestões, elogios, foi uma ótima aventura! 😉

eWaXfP3x6blByMYo_-LlSxbrhdL0liEZnx4XGWia_fU

ps: Não estranhem me ver eventualmente no feed de fotos do Chá porque né, as amizades seguem muito além da vida online, #grazadels!

assinatura mai





Eu (Nana) fui marcada em uma tag que a Suelen do blog Rosto de Neve respondeu e me senti inspirada a topar o desafio e contar pra vocês quais foram essas minhas “coisas” em 2015, apesar de dificilmente falarmos coisas pessoais aqui pelo Chá das Phynas. A tag, na verdade seria “15 coisas boas de 2015” mas ela adaptou e eu gostei, então responderei misturando os tópicos sem uma ordem de “bom” ou “ruim”! Preparados? Aqui vão elas.

#Meus aniversários
Segui a tradição de comemorar meu aniversário várias vezes e foi ótima. Mesmo não tendo saído tudo como planejado é muito legal fazer isso porque nos lembra que temos muitos motivos para comemorar a vida e muitos amigos com os quais contar nisso!

#1 ano limpa
Não sou viciada em substâncias tóxicas, mas em relacionamentos tóxicos… ô! Poucos sabem (MESMO, porque sou discreta sobre minha vida amorosa) mas em abril  fez 1 ano que saí do meu último relacionamento que sugou todas as minhas energias por mais de 2 anos. Não que a pessoa fosse terrível, abusiva ou manipuladora mas era alguém que exigia (por necessidade e não por pedido) MUITO de mim e tinha pouco a oferecer positivamente em retorno. Para o bem de todos, acabou e aprendi o que preciso e o que eu não quero mais num relacionamento.

#Comecei aulas de francês
Minha irmã mais velha é formada em inglês, espanhol, alemão e francês e a mais nova em inglês e italiano. Eu, de longe, sou a que menos gosta de estudar na casa (hahah) mas sou fascinada pela França e seu idioma super sonoro. Sou formada em inglês e resolvi TENTAR aprender francês (não é fácil se você não curte estudar) me matriculando na Parlez Idiomas. Uma escola pequena, com preços ótimos, perto de casa (Parque 10) e com professores excelentes que foram anos da Aliança Francesa. Recomendo, inclusive!

Eu e as Phynas no Chá Bar da Carol

Eu e as Phynas no Chá Bar da Carol


#Muitos noivados, chás e casórios
O ano começou com uma amiga (a Mari, do Chá <3) ficando noiva em seu aniversário e ao longo do ano minhas DUAS irmãs também ficaram (uma até já casou). No início do ano também já teve casamento (da Thicy, amiga blogueira) e no meio outra blogayra amiga casou (a Carol, do Toque de Neon), uma amiga de infância me convidou para ser mademoiselle no seu casamento em janeiro e, em dezembro, OUTRA amiga foi pedida em casamento! Foram muitos chás bar, lingerie, de panela <3

#Ganhei um sobrinho
Passei mais tempo solteira do que namorando na vida e, por isso, muitos profetizaram que eu “ficaria pra titia”. FIQUEI! Nasceu meu primeiro sobrinho, Bernardo, que é lindo e fofo e reafirmou a minha vocação natural de ser… TIA! Gente, não sirvo pra mãe, não! Não é pra qualquer uma! Parem de obrigar as mulheres a parirem se elas não tem perfil pra isso hahaha.

11057210_1262601793765761_3407279264369483457_o

#Viagem relâmpago
1 ano sem viajar é 1 ano perdido. Quase perdi 2015 mas aproveitei um impulso e uma proposta de “fica lá em casa!” pra visitar o Rio de Janeiro por um fim de semana. Se valeu a pena? SIM! Virou até um post com dica para viagens curtas que eu postei aqui.

#Mudança de emprego
Eu costumo ficar muitos anos num mesmo emprego. No meu primeiro eu fiquei 5 e no segundo fiquei 3. Acontece que isso não é motivo de orgulho quando você se sente criativamente esgotada e desmotivada para trabalhar. Mesmo adorando meus colegas de trabalho e a empresa onde estava, eu me via infeliz e cansada da rotina. Decidi parar de reclamar e me desligar, após várias tentativas de adaptação (como tirar umas férias, ficar só meio período, etc). Sempre recomendaria você tentar algo novo quando começar a se sentir assim no emprego.

20151030_094945

#Novos empregos
Saí de um e entrei em 2! Meu salário e meu expediente caíram pela metade com a mudança de uma agência de publicidade para designer in loco de duas empresas que funcionam no mesmo lugar. Mas a satisfação de ter novos desafios e poder explorar outras habilidades que eu não usava, compensam a adaptação financeira provisória.

#Deixei as unhas crescerem
Por um milagre chamado Pantogar (3 capsulas ao dia) minhas unhas cresceram lindas e fortes! Eu ia até escrever essa dica aqui no blog mas assim que comecei a mostrar pra todo mundo minhas novas unhas, METADE QUEBROU! Sai pra lá, uruca! Tive preguiça de comprar de novo o remédio…

#Deixei o cabelo crescer
Quem já teve cabelo curto sabe o quanto é difícil deixar crescer porque cortar cabelo vicia! Mas botei na cabeça que deixaria o meu intacto em 2015 para o casamenro de janeiro de 2016 e agora to acostumando com a ideia dele grande. Resolvi fazer um pacto com a Mari e Mai de deixarmos crescer até outubro de 2016 para doar no #outubrorosa para mulheres com câncer.

#Meus amigos
Consegui ver meus amigos várias vezes esse ano e isso é ótimo. Mesmo não sendo uma pessoa super amorosa e meiga eu construí amizades em grupos diferentes e sempre tenho quem chamar pra sair. Isso me deixa muito feliz porque enquanto eu namorava só saía com amigos do boy e esqueci minha capacidade de TER os MEUS amigos.

#Fiquei seletiva
Assim que descobri (sim, pois ninguém me comunicou oficialmente haha) que eu estava solteira, aproveitei bem! Até que cansei. Comecei a me relacionar só quem eu via afinidade. Errei feio numas apostas, pegou na trave umas vezes e outras eu defendi o gol pra ninguém marcar. Não me arrependo! Acho que todo mundo DEVE se permitir coisas novas MAS TAMBÉM se permitir ficar sozinho. Pular de um namoro ao outro é trocar de muleta! EU tô engajada em aprender a andar sozinha,  pra depois achar companhia pra corrida.

#Abandonei o salão
Testei pintar o cabelo em salão de beleza uma última vez, gastei atrocidades, a cor ficou linda mas meu cabelo ficou uma merda porque fizeram uma “limpeza” que parecia uma descoloração e ele ficou fraco e MAIS SECO. Ótimo! Assim voltei a pintar em casa e gasto infinitamente menos tendo só um pouco de trabalho.

#Conselheira
Pude, em diversas ocasiões, usar minha experiência pessoal para aconselhar amigas e conhecidas que estavam (ou estão) em relacionamentos insatisfatórios. Nada te torna mais empático do que ver em outras pessoas experiências com as quais você se identifica por também ter passado (e sobrevivido bem).

#Fiz diferença
Através de um dos meus trabalhos (o Parque de Ideias) pude planejar e proporcionar momentos de grande impacto na vida de alguns amigos, conhecidos e desconhecidos. É muito bom ver as pessoas descobrindo seus potenciais, sonhos e ganhando motivação para tirar tudo isso do papel. A gratidão dessas pessoas me marcou, também!

Não sei se alguém terá saco ou curiosidade o bastante pra ler toda essa lista mas: missão cumprida! Só não vou marcar aqui mais pessoas para responderem essa tag porque tenho preguiça de repassar “corrente” hahaha

assinaturas 2015-03