Home Sobre o Blog Quem somos Contato Midia Kit Categorias


dicas-2 category image
30 de setembro de 2016

Oi, gente!
Vou começar a fazer uma série pequena de posts sobre algumas técnicas de limpeza capilar aká low-poo/ no-poo /co-wash e contando um pouco das minhas experiências com elas e espero que vocês possam aproveitar e se animar pra testar alguma.

Todos tem um fator em comum: a meta é que consigamos lavar o cabelo com a menor (ou, nenhuma) quantidade possível de química proporcionando assim cabelos mais saudáveis e bonitos. Vou começar com o low-poo!

Primeiramente: que diacho é isso, mana?

Pra começo de conversa esse é um método de lavagem capilar criado pela Lorraine Massei publicado no livro “Curly Girl” (O manual da garota cacheada).  Uai, mas e quem não é garota cacheada? Calma!
A técnica foi originalmente descrita para cabelos cacheados, porém pode (e é) utilizada em todos os tipos de cabelos. O fato é que quanto menos química mais natural seu cabelo vai ficar (dãaa), no sentido que os produtos que utilizamos nas madeixas possuem tantas substâncias que acabam mascarando a identidade do fio, e os cachos são os que mais sofrem com isso. Com a utilização de menos química o cabelo fica mais leve e saudável podendo ~se expressar~ (ou seja, cachear) da maneira mais natural (e linda).

meus-caracois-blog
A principal ideia desta técnica já tá embutida no nome (low poo, em inglês pode ser traduzido como ‘pouco shampoo’) que tem o objetivo de diminuir a quantidade de shampoo utilizado nos nossos cabelos. De fato este é o ponto principal, pois normalmente lavamos o cabelo com uma quantidade maior de shampoo que o necessário. Seguido pelo fato de que, muitas vezes, lavamos de forma errada nosso cabelo. Muitos especialistas já vem há tempos dizendo para utilizarmos shampoo somente na raiz do cabelo (couro cabeludo) e condicionadores somente no comprimentos dos fios, maaaaas ainda sim, às vezes, fazemos confusão e utilizamos mais produto que o ideal. Então comecemos por lavar de maneira correta e com a quantidade ideal de shampoo (ou seja, bem menos do que o que você provavelmente usa).

Segundamente: nem tudo o que reluz é ouro

* Sulfatos: não podchi!
Outro tópico abordado pela técnica é a troca da utilização destes shampoos ‘normais’ que comumente utilizamos por shampoos sem sulfato.

Você pode se perguntar: mas o que que tem de mal no sulfato, coitado? Bom, são substâncias adicionadas nos shampoos para provocar uma limpeza profunda nos fios e acabam retirando mais que o necessário da oleosidade natural do fio (ele tira tudo e mais um pouco). Isso é muito agressivo pras madeixas, e em consequência disso o cabelo fica muito ressecado e perde toda essa oleosidade natural que protege o fio.

Então dica número 1 pra você que deseja seguir essa técnica: comece excluindo produtos com sulfatos da sua vida.
Mas e se não tiver o sulfato então meu cabelo vai ficar sujo? Não, miga! Para boys e shampoos tenhamos sempre em mente: há um mundo além do que esse que você usa diariamente.

Sim, há vida além dos sulfatos e derivados de petróleo! Eu sobrevivi e vim pessoalmente contar haha! Há outros produtos que ajudam na limpeza do fio, mas eles não produzem tanta espuma como os com sulfatos. O motivo disso é que além dos sulfatos serem substâncias que retiram a gordura (tu tá usando detergente no cabelo!)  também são responsáveis por produzirem espuma.

O que me leva a dica número 2: Liberte-se da ideia de que espuma significa limpeza (pq nem sempre)! Há diversos produtos que limpam seu cabelo muito bem e sem retirar o que não precisam, não são derivados de petróleo e são solúveis em água (Cocamidopropyl Betaine, por exemplo).

sulfatos

*Os silicones (petrolatos)
Além dos sulfatos ainda há os silicones (também derivados de petróleo) que estão presente nas composições da maioria dos shampoos que formam uma espécie de capa que envolve os fios e com o tempo vai acumulando e o cabelo fica sem poder ‘respirar’ e absorver substâncias necessárias para se tornar saudável.
Esses silicones são colocados nos produtos  (shampoos, máscaras, cremes para pentear, etc) para esta finalidade (de “filme protetor”, segundo as propagandas) e são uma verdadeira maquiagem para cabelo, pois dão a impressão de que seu cabelo está hidratado e brilhante, mas na verdade o fio pode estar ressecado e opaco.
Os shampoos comuns não possuem substâncias capazes de limpá-los (e por isso vai acumulando). Já os produtos sem sulfatos tem substâncias capazes de limpa-los (justamente porque há a preocupação com esse acúmulo).
Na técnica low poo o uso de alguns silicones (solúveis e insolúveis) é liberado, mas recomendamos que, caso sinta que seus cabelos estão ficando muito pesados, reduza o uso de produtos com silicones.

petrolatos

*Parabenos
Sim, minhas amigas! Como se não bastasse sulfatos e petrolados ainda temos os parabenos! Esses zinhos últimos são utilizados pela nossa (odiada) indústria cosmética para fazer com que os produtos durem mais tempo e evitem neles a proliferação de microorganismos. Os mais comumente achados são metylparaben, propylparaben,  etylparaben e butylparaben.

 O fato é que estas substâncias não são propriamente proibidas na técnica de low-poo, todavia há muitas pessoas (maioria da galera que utiliza a técnica) que está diminuindo o uso destas substâncias por conta de toda uma discussão a respeito de riscos à saúde ligados ao uso de parabenos. Não vamos entrar nesses detalhes, mas catamos por aí que o site Ecycle fez uma matéria explicando um pouco melhor sobre isso, então quem tiver interesse é só dar uma lida nesta e em diversas outras matérias que tem pela internet afora.
A maioria das marcas que desenvolvem produtos especialmente para low-poo já utilizam conservantes naturais e deixam isso claro na embalagem pro consumidor ficar sabendo.

Até agora agora foi só blablablá químico, então vamos à lista de passos simples para você que não desistiu e nem parou de ler no primeiro nome de componente químico! (Pela atenção, obrigada❤️)

Passo 1: Dá uma olhada nos produtos que você tem em casa e vê quais os liberados para essa técnica. É só conferir nas listas e vê se tem algum dos itens e (provavelmente tem, rs) decidir quando iniciar a utilização da técnica (agora, agorinha ou só depois que o shampoo proibidão acabar).

Passo 2: Já tá com os produtos liberados para a técnica prontinhos para serem utilizados? Ótimo, mas antes, pela última vez, lave o seu cabelo com um shampoo com sulfato (mas sem petrolatos) pela última vez (checa a listinha!) para deixar suas madeixas livre de qualquer resíduos da vida bandida de outrora e pronto para uma nova era.

Passo 3: Agora vc pode começar a usar seus produtos (shampoo + condicionador) liberados para a técnica e ter cabelos cada vez mais lindos e saudáveis.

Produtos liberados: como saber?

Para não dizer que não falei das flores, caçamos na internet( esse oásis de links maravilhosos!) e deixaremos com vocês uma dessas preciosidades que é essa listagem compartilhada de produtos liberados para a técnica <3

Atenção: Como tudo na vida, há um período de adaptação quando é feita uma mudança drástica. Normalmente utilizamos produtos com uma quantidade alta de parafina e silicone o que mascara a real condição do fio (que pode estar meio sofriiida depois de tanto baque da vida). Logo, nos primeiros dias o seu cabelo pode parecer ressecado e sem brilho, mas não se desespere! É tipo um detox do cabelo. Com os novos cuidados e com o tempo seu cabelo vai recuperando a oleosidade natural e essencial do fio e ficará cada vez mais bonito e saudável.

Curtiu o post? Então compartilhe!
Acompanhe o Chá nas redes-sociais!
Facebook | Instagram

assinaturas 2015-02