Home Sobre o Blog Quem somos Contato Midia Kit Categorias


dicas-2 category image
23 de fevereiro de 2017

Olá a todxs, a ~pedidos escreverei alguns (sim, me aguentem!) posts sobre coletor menstrual, vulgo copinho; porém, antes de mais nada gostaria de avisar que teremos: sangue

Leona: que mulher!!!

Leona: que mulher!!!

Apenas um aviso no caso de alguém ter algum problema com informações e conversas (calma, miga, não criemos pânico pois não terão ibagens escatológicas or something…) a respeito desses imensos (aproximadamente) 70ml de sangue perdidos pelas mulheres mensalmente. Dito isso, vamos primeiramente explicar o que é, segundamente vamos responder algumas indagações mais comuns.

Favor assistam esse maravilhoso vídeo (só clicar na imagem)

O QUE É ISSO, MANA?

O coletor menstrual é um “copinho” de silicone que substitui o uso de absorventes menstruais usuais (externos e internos) e, embora seja uma criação antiga, só nos últimos anos que tem tido um crescimento no número de adeptas, mas ainda sim é motivo de estranheza pra maioria das mulheres.
Ele foi criado em 1908, mas era bem diferente do que conhecemos hoje. Daí em 1937 uma mulher (iluminada!) chamada Leona Chalmers adaptou a criação primitiva para uma versão mais próxima do que usamos hoje em dia. Serei eternamente grata, miga!

a evolução do coletor

Obviamente o copinho deu uma modificada e modernizada de 37 pra cá, mas a ideia central ainda é a mesma desde o início: coletar o sangue menstrual. Ele é feito de silicone cirúrgico (ou elastômeto termoplástico para os íntimos) hipoalergênico e antibacteriano, e por isso não irrita a mucosa, ou seja, quem tem alergia aos absorventes convencionais, camisinha, etc pode ficar tranquila!

anatomia do copinho
Entre as minas que usam o que mais se ouve é o adjetivo: “libertador“. E porque é mesmo, pensa que liberdade poder usar a roupa que vc quiser e não se privar de atividade nenhuma (a não ser que vc queira) com medo de vazamento no seu período menstrual. É tribom!
Embora não exita um tipo de absorvente (aliás não existe nada no mundo) que seja O melhor para todas as mulheres do mundo, penso que o coletor é uma ótima alternativa aos métodos habituais para a maioria das mulheres,  e contribui muito pro bem-estar individual das meninas, e de quebra o planeta agradece!

DÚVIDAS FREQUENTES

# Não é caro?
É muito mais vantagem, creia, mulher! Vamos pensar aqui com a gente acompanhando seguinte raciocínio: suponhamos que cada mulher menstrue, em média, 4 dias. A recomendação para absorventes externos é que se troque a cada 4 horas, logo são 6 absorventes por dia, totalizando uns 24 absorventes externos, em média, por ciclo (recomendação dos ginecologistas para uma higiene saudável e sem risco de infecções). Isso por mês. Tendo cada ano 12 meses, logo dá aprox 288 absorventes por ano (36 caixinhas com 8). Se adotarmos que a primeira menstruação normalmente ocorre entre os 11-13 anos e a menopausa aos 50, vamos ter uma média 12 mil absorventes usados por cada mina ao longo da sua vida.

E levando em conta que temos 1.75 bilhões de mulheres em idade reprodutiva no mundo, pensemos a quantidade de absorventes (façam a conta e me falem pois minha cabeça deu bug nos 12mil, sou de biológicas rs).Vamos supor que uma caixinha de 8 absorventes custe uns 3 reais X 36 dá uns 108 reais em um único ano, pelo menos. E depois de tanta conta (eu juro que acabou pois estou: cansada!) venho vos informar que a média de valor de um coletor é 80 reais e ele tem uma alta durabilidade (depende mais dos seus cuidados com ele, na verdade, mas de 5 a 10 anos). Logo…

Pensando nas brusinhas que vô comprar com o dinheiro que sobrará

# Ele ajuda a diminuir/aumentar o fluxo?
Não, manas. O fluxo da nossa menstruação é regulado por fatores internos e hormonais. O que acontece é que a gente normalmente não tem muita noção dos nossos ciclos biológicos (menstruais, então…) um exemplo disso é que a gente acha que sangra litros e quando começa a usar o copinho vê que não é bem assim…é bem pouquinho, na verdade, mas no absorvente externo se espalha na superfície do mesmo e parece que estamos em hemorragia. Então, não é que o fluxo diminui, geralmente somos nós que entendemos melhor nosso ciclo.


Adiciona-se a isso que o coletor coleta (por isso o nome, dã) o sangue direto da saída do colo do útero, ou seja, antes dele chegar no canal vaginal, logo o caminho do sangue menstrual é ‘encurtado‘. Então, normalmente o tempo que esse sangue que é liberado levaria para terminar de percorrer o canal vaginal e vir, literalmente, ao mundo externo é diminuído (pois ele não precisa fazer esse trajeto pois foi ~capturado antes), o que dá a impressão que diminui o ciclo ou fluxo. Não diminui o fluxo, você que passa a se entender melhor, quer coisa mais maravilhosa que isso?

# Não fede?
Essa foi uma das coisas com a qual eu mais me admirei, pois descobri que nosso sangue menstrual não fede nada, nadica mesmo. Nós somos convencida pelos outros, outras e por nós mesmas que a menstruação é uma coisa nojenta, horrível, que fede etc, mas na verdade não é nada disso. O odor ocorre quando o sangue entra em contato com o ar e coagula (apodrece), o que acontece dentro do absorvente interno (e não dentro da gente), e isso não acontece no coletor pois ele segura o sangue antes que entre em contato com o ar (por conta do vácuo criado por ele).

# Ah, mas vou ter que tocar em sangue, que nojo! Urgh!
Miga, uma coisa é certa: você vai precisar se tocar. E nessa última dúvida entra também o ponto do porquê que os coletores não são tão populares e divulgados na mídia, e motivo pelo qual enfrentam tanto preconceito e ‘torcidas de nariz’ pelas mulheres: a gente tem que entrar em contato com o próprio corpo, e nós não fomos educadas pra isso.

Como o coletor fica no canal vaginal, logo abaixo do colo do útero, é preciso dobrá-lo e introduzi-lo com os seus próprios dedos. Isso é um tabu. O que mais se ouve é:

“Mas vai ficar dentro de mim?”
“Mas tem que colocar o dedo lá dentro?”
“Ai, prefiro não, não gosto de nada lá dentro” (tá bom… duvido!)
“Isso deve fazer mal”

A mulher tocar em seu próprio corpo, conhecê-lo, aceitá-lo ainda é uma dificuldade na nossa sociedade. Falar das necessidades e dos ciclos do corpo feminino (que por séculos fomos ensinadas a esconder, a odiar, a disfarçar) ainda é uma dificuldade, mesmo com tanta informação na mídia. Esse empoderamento e percepção do nosso próprio corpo feminino e da nossa natureza mais profunda é difícil e se dá individualmente de modo bem lento.

O bom é que, em se tratando do coletor, normalmente, a impressão ruim dessas afirmativas acima geralmente se modifica depois do primeiro uso ou da simples conversa, até pela internet, com outras mulheres que já usam coletor.
Pensamos que devemos todas apoiar todo e qualquer iniciativa que vise a dar mais liberdade e opção de escolha para a mulher, lembrando e respeitando sempre a individualidade de cada corpo, cada história. Lembremos que quanto mais alternativas tivermos, melhor. Portanto, é hora de olharmos com mais carinho para nossos corpos, nossos ciclos, nossa menstruação, ou seja: para nós mesmas.

vaidecopinho cópia

OBS: Imagens retiradas do infográfico sobre Coletor Menstrual desenvolvido por Scarlet Nivea Santos Figueiredo (UFES), clique aqui pra baixar. Obrigada a todas que criam e ajudam a divulgar esse tipo de material enriquecedor.

assinaturas 2015-02





opiniao-2 category image
13 de fevereiro de 2017

Esses dias estava pensando no quanto nós, mulheres, somos moldadas a determinados comportamentos. Se você é mulher, sabe que desde que assinava Capricho 10 anos (!) atrás já se sentia feia ou deslocada por não ser tão perfeita quanto “aquelas mulheres da revista”. Se você é homem, certamente já teve no seu círculo de amizades ou relações uma garota linda, porém insatisfeita. “Ela só pode tá de sacanagem em se achar feia!“. Pior que não tá. A baixa-estima feminina vende maquiagem, produtos de beleza, procedimentos estéticos, revistas, shakes… é bem lucrativa. Se você é mulher, você é ensinada que nunca está boa o bastante, sempre dá pra “melhorar uma coisinha“.

"O que eu quero ser quando eu crescer? Bonita."

“O que eu quero ser quando eu crescer? Bonita.”

Nos meus pensamentos veio uma relação direta entre esse inconsciente coletivo feminino  “não sou bonita o bastante” e o fato de a gente se incomodar tanto com mulheres que aparentam ser confiantes e bem resolvidas. Excesso de auto-estima é uma afronta pra quem aprendeu a dançar conforme a música e se sentir constantemente digna de reparos. Sabe aquela menina que sempre posta selfie? “SE ACHA, NÉ? AFF“. E a que foi pra uma formatura e não para de postar foto da make e do look pela semana seguinte inteira? “Que saco, todo mundo já viu que tu tava gata!“. Quem nunca comentou mentalmente essas demonstrações – ao nosso ver excessivas – de auto-estima nas redes sociais?

jealous

Então, perdidas no limbo entre o não se diminua tanto mas também não infle demais, já notei que muitas mulheres buscam justificativas ou disfarçam na hora de demonstrar que tão se sentindo bonitas. Já viu alguma amiga postando uma selfie na qual ela está evidentemente bonita mas na legenda escreve algo engraçado, pra “despistar” e não parecer que tá se achando? Ou aquela conhecida que casou e tava belíssima de noiva e pede “desculpa” por postar “de novo” uma foto do grande dia. Cada foto dessas parece uma requisição “Peço licença pra demonstrar meu auto-amor e apreciar a minha própria beleza.”

Por que nós, que nos identificamos tanto com a dor de não sermos perfeitas como nos sugerem ser, nos incomodamos mais com a menina “que se acha” do que nos compadecemos com todas as outras que tem certeza que não são boas o bastante? Não passa pela nossa cabeça a motivação oculta daquela fulana em ser ultraexpor em roupas sensuais e estar sempre maquiada ou o fato de 79 “lindas” comentados passarem batido ao ponto que um mero comentário maldoso tenha potencial pra acabar com dia dela… Garanto que até a mais linda beldade cybernética se acha feia, tem dias ruins ou gostaria de mudar alguma coisa em si mesma, porque ela passou pela mesma “catequeze” midiática/social que você.

Blue Swimsuit self portrait

Blue Swimsuit self portrait

Fica aqui o apelo pra pararmos de nos justificar por estarmos nos sentindo bem e ressignificarmos a antipatia que nutrimos por mulheres que demonstrem estar fazendo exatamente o que deveríamos nos treinar a fazer: se achando maravilhosas pra caralho. Fala pra amiga que ela “tá bonita pra cacete”. Dá amei na foto. Comenta que “adorou o novo corte”. Deixa todas essas mulheres saberem que alguém mais viu beleza nelas. A gente já ouve, lê e vê coisas demais que nos dizem o contrário.

assinaturas 2015-03





 

Fiquei bastante chocada com a repercussão em uma rede social da foto de uma atriz e seu esposo. Na foto ambos estavam num evento mais formal e a atriz usava um vestido (lindo) e mais justo, mas nada muito colado. Nos comentários algumas pessoas elogiavam o casal e as roupas, porém dentre os elogios surgiram vááááárias críticas ao corpo da atriz. Por quê? A atriz em questão tem uma filha de, no máximo, 3 meses e nós mães (pais e qualquer um com bom senso) sabemos que quando uma mulher tem um bebê seu corpo se transforma desde a gravidez até depois de nascer. Diante de tantas transformações, os corpos das mulheres respondem cada um de uma forma.

how-to-love-postbaby-body-2160X1200

Após o parto a mulher passa por uma fase de 3 a 6 semanas chamada “puerpério”. Essa fase é o momento que o corpo tem para aos poucos voltar ao funcionamento normal como antes da gravidez. O útero se contrai até voltar ao mesmo lugarzinho de onde estava, o inchaço da retenção de líquido da gravidez aos poucos vai embora, os pontos da laceração (em caso de parto normal) ou episotomia caem, etc. Não acham que são muitas mudanças em um tempo tão curto?

Depois dessa fase a mulher é liberada para voltar às atividades rotineiras: caminhar, correr, dirigir, etc. Porém, a mulher ainda pode se sentir insatisfeita com seu corpo nessa fase por dois motivos:

1) Cada corpo tem seu tempo, ou seja, às vezes alguns corpos reagem de forma mais lenta às mudanças;
2) A pressão social (que, para mim, é recente) de que os corpos voltem a ser como antes, as famosas “mamãe saradas/esbeltas”.

Concordo que, todos nós devemos cuidar dos nossos corpos, nos preocupar com nossa alimentação e praticar exercícios físicos. Todavia, discordo dessa pressão que nós (mães) sofremos depois de termos filhos para estarmos em forma logo, como se o corpo torneado fosse uma prioridade no momento. E muitas vezes: não é!

gallery-1445540397-12106935-976657675724500-1849015337981230302-n

Não é pois: a vida muda completamente quando se tem filhos. As prioridades mudam, pois existe um ser agora que depende muito dos cuidados que só nós, os pais, podemos dar a eles <3 Se acaso os pais não tem ajuda dos familiares ou de babás as coisas ficam mais difíceis ainda. O cansaço da nova rotina é sem igual. E no fundo tudo que queremos é uma boa noite de sono sem sermos interrompidos #Ihaveadream

Então não é injusto e sem sentido cobrarmos das mulheres esse tipo de coisa? Ao invés disso sou a favor das pessoas falarem “Ei, você não quer sair com seu marido? Eu fico com o bebê!”. Sdds vale-night! hahaha #Ihaveadream2

ppseries-6-of-125-1024x685

Não estou criticando quem está em forma depois do parto, pois cada corpo é um corpo, e até porque “estar em forma” é um conceito muito amplo e diverso para cada pessoa. Estou questionando tão somente quem cobra isso das mães (mesmo que veladamente) e as fazem passar, às vezes, por constrangimentos desnecessários (que aliás é uma super falta de gentileza e educação, convenhamos).

Eu mesma passei mais de um ano sem usar um biquíni com medo dos julgamentos e agora vejo que fiz bobagem. Pra quê isso, gente? Sejam(os) livres! Cuidem de suas crias sem neuroses!

Meu filho já tem um ano, meu peso voltou ao normal mas meu corpo não é o mesmo e nunca mais será, e tá tudo bem, sabe? Eu hoje amo meu corpo com toda a história que ele carrega e me sinto orgulhosa por ter meu filhote nas páginas do meu corpo.

fotos-post-parto-madres-tras-parir-jade-beall-13

Ame seu corpo e toda a história que ele já passou. Respeite isso. Não se cobre tanto. Beleza é muito mais do que o que mostra a capa de uma revista, miga!

Um abração a todas as mamães lindas e seus filhos lindos e seus corpos tão lindos e imensos de luz que não cabem (nem precisam, nem nunca caberão) nos padrões da sociedade. Criamos o nosso próprio, então. Os padrões de nos amarmos como somos e com tudo o que temos (e não temos)! <3

assinaturas 2015-06

 

Fotos: The Bodies Of Mothers’ Book (por Jade Beall) ; The Honest Body Project, e 4th Trimester Bodies Project.





opiniao-2 category image
6 de fevereiro de 2017

Não tem jeito fácil de começar esse post que certamente é o mais pessoal meu que haverá aqui no Chá, vocês sabem que eu não sou de falar muito de mim em canto algum (um tantinhozinho-inho a mais no Twitter, talvez, haha).

Já tem um tempo que o sumiço aqui é maior do que o que eu gostaria e mais duradouro do que imaginava. Há meses eu dizia pra mim mesma que “é só uma fase ruim, a disposição volta”, mas no fim das contas, não tem muito essa de fase ruim como justificativa pra não fazer algo. Só as pessoas próximas sabem, mas eu passei por muitas e péssimas nos últimos anos…resumindo muito bem resumido, absolutamente todos os planos (pessoais e profissionais) que fiz desde sempre pra minha vida “deram ruim”, além de momentos tristes/difíceis na família, certezas antigas completamente desfeitas, tudo durante a existência do Chá.

No entanto, eu nunca estive mais em paz comigo quanto agora e nem mais agradecida por tudo que aconteceu e que me deixou mais forte e mais auto consciente. Uns acontecimentos assim, ocorrendo de forma seguida (e em alguns momentos até simultaneamente) mexem nas estruturas de qualquer um e deixam umas lições profundas em quem esteja disposto a aprender. E eu me dispus.

Depois do turbilhão a gente respira, olha em volta e recolhe os cacos, cola os pedaços, se refaz por inteiro. O tempo que leva não importa muito, importa é que no meio desse processo sobram só os valores que ainda te mantém em pé. As pessoas e coisas que te são mais caras. A lista de necessidades que parecia não ter fim, diminui vertiginosamente depois que você não tem “nada” e enxerga que na real nem precisava de tanto assim pra se sentir satisfeito. Com isso, as prioridades mudam…e as minhas em relação ao blog e à algumas coisas na minha vida mudaram numa volta de 360º e é por isso mesmo que resolvi escrever fechando mais um ciclo em meio a outros tantos.

Foram muitos momentos preciosos vividos com essas serumaninhas serelepes chamadas Mayana, Marianna e Natália <3

 

Fazendo jus ao nome do blog

Fazendo jus ao nome do blog

O dia que fizemos uma festinha (uma daS, né!) toda DIY e meu quintal virou cenário de Tumblr/Pinterest <3

O dia que fizemos uma festinha (uma daS, né!) toda DIY e meu quintal virou cenário de Tumblr/Pinterest <3

IMG-20150809-WA0062

IMG-20150926-WA0004

Sendo gente grande e partilhando dicas, #dizque

Vocês praticamente não nos viram juntas em eventos glamourosos por aí, mas se procurar em bar… (foto sem produção e fora de foco mesmo porque eu quero é mostrar a vida real haha)

Várias amizades iniciadas e retomadas com “ei, eu adoro ler o Chá!”, umas amizades que eu nunca nem ia imaginar ter com umas blogueiras (se eu for citar de uma por uma, vai dar briga, cês sabem quem são <3) e blogueiros lindos (Oi, André <3), trocentos ~eventos e festinhas~ pra morrer de rir com esse povo animado e que me tiravam dos momentos de bad e da minha toca (a muito custo, verdade seja dita) e por quem eu vou sempre torcer pra que brilhem cada vez mais.

IMG-20150118-WA0013

Metade das bonitas porque é missão impossível reunir todas!

IMG-20160213-WA0024

~góticos do rio negro~

Eu também fico muito feliz de ter ajudado a escrever a história do Chá e termos ido na contramão de muitas coisas em tempos de “sigo de volta”/ “instablogs”/”digital influencers”, webcelebridades de 50 mil seguidores do dia pra noite – e ficarmos satisfeitas em pagar o preço por insistir em conteúdo próprio e autenticidade.

Por fim, a vida é feita de ciclos e ainda bem que é assim. Cada fim anuncia um recomeço, com novas possibilidades no que quer que seja. O novo por vezes assusta, mas é libertador reconhecer o ponto de encerramento de algo e ter coragem de encarar recomeços. Depois de muito me observar, concluí que cheguei nesse fase e que minhas necessidades me levam para outros rumos. Por isso fica aqui meu muito obrigada a todo mundo que trocou ideias comigo ao longo dos posts, aos que me fizeram boas críticas, sugestões, elogios, foi uma ótima aventura! 😉

eWaXfP3x6blByMYo_-LlSxbrhdL0liEZnx4XGWia_fU

ps: Não estranhem me ver eventualmente no feed de fotos do Chá porque né, as amizades seguem muito além da vida online, #grazadels!

assinatura mai





diy category image
9 de novembro de 2016

Tem um ditado que diz que “casa de ferreiro, espeto de pau” mas nesse Chá, não! O post de hoje vem mostrar como colocar em prática as dicas do post de ontem e montar uma fantasia alinhando uma boa inspiração, maquiagem e peças que você já tem no guarda-roupa.

O look de hoje foi inspirado no boneco do serial killer Jigsaw da série de filmes Jogos Mortais que proporcionava em seu jogo a escolha entre a vida e a morte de suas vítimas acreditando que assim elas valorizariam mais a vida que tinham.

jigsaw-wallpaper-free-hd-dekstop

Podemos montar essa fantasia de várias formas e para todos os estilos utilizando a mesma paleta de cor e as peças mais marcantes que darão referência ao personagem. Quem prioriza o conforto, pode optar por usar um short de cintura alta, camisa branca e tênis. Só não vale esquecer da gravata borboleta vermelha e do blazer preto, olha só!look2

look1

Procurou a máscara para comprar e não encontrou? Relaxa que você mesmo pode fazer com maquiagem! Aqui embaixo tá só o passo-a-passo de como fazer uma make bem fácil, que não exige muita habilidade com os pincéis e cria um resultado bem legal.

make1

Passo 01: aplique sombra marrom para dar profundidade nos olhos e esfume bem.

Passo 02: com o lápis preto cubra a pálpebra móvel e em seguida aplique uma sombra preta sem medo de ser feliz. Não se preocupe com os borrados, eles vão dar o efeito que queremos para simular a máscara do boneco.

Passo 03: depois dos olhos prontos, aplique pancake branco por todo o rosto. Vale também aplicar no pescoço e nas orelhas. Em seguida é só passar o batom vermelho.

make2

Passo 05: com um lápis preto, faça um risco da boca ao queixo para simular a boca de ventríloquo e esfume de leve.

Passo 06: nas bochechas aplique blush rosado fazendo uma bolinha. Em seguida, desenhe um espiral com lápis vermelho ou com o próprio batom utilizando um pincel fino.

Passo 07: no halloween não precisa ser discreta então pode colocar glitter e cílios postiços bem longos que vai ficar lindeza!

resultado

Compus o meu look com uma camisa de botão branca, saia preta, blazer do papai e adaptei a gravata que não tinha com lenço vermelho dado um laço.

Dá para improvisar muitas fantasias com o que temos em casa sem precisar usar exatamente a mesma peça que o personagem usa, basta só usar a criatividade e não perder as referências mais marcantes.

Espero que vocês tenham gostado e que eu tenha dado uma luz para quem tava perdido sem saber o que usar.

Nós vemos sábado no Hallow-inn da Popscile!

Beijos!

assinaturas 2015-01





Você já conseguiu a parte mais difícil: garantir ingresso para o melhor Halloween da cidade! Agora seu desespero é por não ter decidido ainda que fantasia usar no grande dia, adivinhamos? CALMA, JOVENS! Estamos aqui pra trazer inspirações e ideias faceis de se reproduzir ou improvisar em tempo recorde para garantir que sua passagem pela Popsicle não seja em branco. Preparados?

1 ) Taca make nessa cara!

Uma boa maquiagem pode ser o foco central da sua fantasia e a roupa ser só um complemento secundário. Reunimos inspirações de 3 maquiadoras, duas aqui da terrinha e uma vlogger nacional que é um misto de gótica com glitter! Olha só:

savana

Olha que estilo bacana a Savana usou para criar essa Mulher Maravilha e a Harley Quinn! Dá pra usar como referência pra outros personagens de quadrinhos, hein? Nos apaixonamos pela versão de sereia mística dela, por essa releitura de um personagem de American Horror Story e pelo Coringa ultra expressivo! Dá pra deitar e rolar com as makes!

karen

Agora a Karen, blogueira/vlogger nacional de make! A primeira foto é uma prova de que dá pra pegar uma roupa preta, comprar um chapeu no centro, ir de bruxinha e ainda ficar autêntica, SE você arrasar na make! Outra dica é investir em acessórios como chapeus e PERUCAS! Se focar na maquiagem e nesses itens, você já tem 50% de uma fantasia incrível! Agora o que dizer dessa sereia gótica? Amamos! Também aprovamos a ideia de ir de drag com as amigas! Ou se montar inspirada(o) na sua cantora pop favorita (essa da direita não tá A CARA da Lady Gaga?). Resgatar personagens da infância também é uma aposta certeira pra fugir dos personagens-tendência-d0-momento e nós adoramos a fantasia de Sailor Moon, dá pra ir em grupo!!!

paula

Agora vamos falar de Paula Murta que é um talento INCRÍVEL. Aí você já tem dois estilos de caveira e uma outra releitura da Harley (inclusive tem vídeo tutorial no canal dela ensinando a reproduzir). Nós adoramos esse lance de usar o cabelo, então lacinhos, orelhinhas e etc como penteado são uma aposta fofa pra complementar o look. Com esses coquinhos poderia até rolar uma make de onça pintada, hein?! Essa make central tá mara pra quem pretende ir de vampiro ou zumbi ela inclusive brincou que “nesse caso pode batom nos dentes” e achamos a dica de borrar o dente propositalmente ótima pra make halloween! Por último uma make bapho que você pode complementar com acessórios como uma coroa, chifrinhos, asas negras ou o que mais pensar!

2) Espante seus receios!

“Ai mas muita gente deve ir disso” ou “Acho que essa fantasia não combina comigo” são pensamentos que você deve afastar agora mesmo. O objetivo maior é se divertir então pra que ficar se tolhendo antes mesmo da festa começar?! Quer ir de Harley Queen? VAI! Se achar outras 15 por lá aproveita e monta um Squad pra foto! Quer ir de sereia mas tem cabelo raspado, sua pele é verde e você não tem o corpo da Pugliese? FO#@-$E, vai sim! Passou o ano todo sendo desconstruidona pra agora ficar se limitando? PAROU, NÉ?! Inspirem-se nessa Harley Islamica(?), Male Malévola e sereia de ébano.

sem-tabu


3) Busque inspiração nas séries que você gosta!


Não precisa se caracterizar por completo de um personagem! Para bom fã, uma boa referência basta! Esse é um jeito criativo de entrar no clima e ainda arranjar assunto com outros fãs da série pela festa. Aproveita e oferece um drink pro boy que captar a mensagem no seu look! O mesmo vale pra filmes, claro!

4) Nem sexy, nem aterrorizante… engraçado!


Ok, não tá afim de ir de diabinha sexy nem de morto vivo com sangue escorrendo na cara igual ano passado, né? Dá pra adotar o bom humor e causar de outro jeito. Que tal fazer cosplay de maquininha de cartão com a mensagem “transação não autorizada”? Isso causa arrepios! Você e seu boy podem ir também de “perfil de facebook compartilhado” hahaha algo bizarro e horripilante (desculpa quem tem!). Que tal uma blusa com estampa de conversa de whatsapp e a frase: “oi, sumido” do remetente “ex”? Aí embaixo tem um rapaz fantasiado de ENEM, um de morto pelos impostos e outro de “Lance de uma noite”, que poderia ser alterado pra “primeiro encontro”, só quem usar Tinder, Happn ou Grindr sabe o terror que isso pode ser hahaha.

funny

 

Gente, o lance é usar a criatividade e se empenhar MESMO em se divertir porque essa edição promete ser uma das melhores, a galera da organização está se empenhando pra caramba e os ingressos esgotados com mais de um semana de antecedência são um termômetro de que esse Hallow-inn Hotel vai ser incrível. Aqui embaixo vão mais algumas inspirações aleatórias que podem fazer aquele PLIM na sua mente e te dar ideia pra outras coisas, quem sabe!

extras

Espero que tenham gostado das dicas! Amanhã tem tutorial novo de make pro Halloween, dessa vez inspirada em Jogos Mortais! Fiquem de olho!

Curtiu o post? Então compartilhe!
Acompanhe o Chá nas redes-sociais!
Facebook | Instagram

 





opiniao-2 category image
3 de novembro de 2016

Decidi escrever sobre dois clássicos do cinema (e resolvi dividir em dois posts) que me acrescentaram muito mais do que boas experiências cinematográficas. Um deles eu assisto desde os 15 anos e é um dos meus filmes favoritos e o outro assisti recentemente embalada pela massa que sempre me julgou “Como assim você ama filmes e nunca assistiu a esse clássico?”.

Já dizia a minha avó que “panela velha é que faz comida boa”, dando uma atualizada no ditado popular, acredito que são os filmes antigos sim que produzem bons conteúdo. Sem desmerecer os filmes atuais (que trouxeram grandes inovações para o cinema), tudo o que surgiu nos últimos anos (graças a tecnologia, também) é resultado de outro ditado muito dito na atualidade: “nada se cria, tudo se copia”. Então são nos clássicos mais antigos do cinema que realmente encontramos histórias originais, enredos simples, lições de vida e sem dúvida, personagens e excelentes atuações que são referência tanto para outros filmes como para nós, apaixonados por cinema.

Um dos principais motivos que me faz amar filmes antigos é o fato de que, independente da época que você os assista, as histórias sempre fazem sentido e melhor, prendem sua atenção e ganham seu carisma munidos apenas do que (para mim) é essencial em um filme: boas atuações e excelentes histórias.

Não é necessário um milhão de efeitos, guerras com duzentos mil figurantes, gasto exorbitante com figurino, maquiagem e locações para que o filme te conquiste.

Para tentar explicar essa paixão e indicar bons filmes, decidi nas próximas #Quintacult falar sobre filmes antigos que se encaixam perfeitamente em todo esse discurso. A prova de que por mais antigos que sejam se encaixam na atualidade é que escolhi um filme que vi mais de 30 vezes (bondade minha, foi bem mais que isso) e outro que (mesmo sendo um clássico, me julguem) eu nunca havia assistido, e ao assisti-los me senti imersa em contextos que facilmente percebo em mim e na realidade que me cerca, e isso me fascina. Adoro filmes capazes de nos trazer uma lição, um bom sentimento e o melhor, uma reflexão sobre nossa realidade. (Não que eu não goste das fantasias e de uma boa ficção que nos faça viajar, longe disso, mas a realidade me chama muito mais atenção).

Então nesse post vou falar sobre o primeiro filme, que é o clássico que eu nunca tinha visto (acreditem), e se eu não vi, provavelmente alguém aí também não viu, então assista, e se já assistiu, assista novamente (porque vale muito apena).

Curtindo a Vida Adoidado (Ferris Bueller’s Day Off) de 1986 é a representação máxima do “clássico da Sessão da Tarde”. É um filme extremamente inteligente no que diz respeito a conquistar seu público-alvo: os adolescentes. E eu, por mais que esteja na beira dos 30, fiquei envolvida e nostálgica com relação as emoções que sentia e queria sentir aos 17. Eu que lido com jovens, me vi complemente feliz de conhecer um filme que, de maneira real, mostra o que os jovens querem viver, ao invés de incentivá-los a ter vontade de viver um romance com um vampiro que brilha (oi?), nada contra aos filmes adolescentes atuais (mentira, tudo contra), mas os jovens (na maioria dos filmes, não todos) são bombardeados com histórias que os incentivam a viver fora da realidade, a buscarem um “tipo ideal” de beleza, romance e comportamento que além de não serem compatíveis com a realidade também não são compatíveis com os sentimentos e reflexões necessários a essa fase. Deixando a patê socióloga e chata de lado, o filme Curtindo a vida adoidado nos mostra o adolescente Ferris Bueller buscando curtir a vida (e o mais fantástico, sem precisar estar em baladas que custam quase o preço de um imóvel novo, camarote, uísque, meninas que parecem mulheres turbinadas e homens similares ao ken da Barbie).

Interpretado por Matthew Broderick, Ferris Bueller é um adolescente que decide matar aula para aproveitar o dia. Após fingir-se de doente para os pais, e seguindo uma estrutura narrativa simples, Ferris, sua namorada Sloane e o neurótico amigo Cameron, decidem matar aula e sair para farrear nas ruas de Chicago.

Ferris parte para um dia na cidade ao lado da namorada e do amigo visitando lugares e se divertindo. Tudo isso enquanto é perseguido pelo incansável diretor da escola, disposto a provar que Bueller está enganando a todos, e ainda lida com a fúria da irmã, ressentida pelo fato dele sempre conseguir se livrar dos problemas.

Como se vê, Curtindo a Vida Adoidado não traz um enredo mirabolante ou personagens profundamente delineados. A premissa da história, na realidade, não poderia ser mais básica: um adolescente que mata aula para se divertir. Simples assim. O que fez (e ainda faz) da obra algo muito bom de se assistir é a maneira irresistível na qual ela é contada pelo diretor e roteirista, além, é claro, de girar sobre um tema capaz de apelas a qualquer pessoa em qualquer idade.

Quem nunca? Quem sempre?

Listar todos os momentos incríveis de Curtindo a Vida Adoidado é um desafio para qualquer um que tenha que escrever um texto curto (principalmente pra mim que escrevo na proporção que falo: muito). Desde a atuação canhestra de Bueller para enganar os pais no início até a última cena, com o personagem avisando o espectador que o filme acabou. O roteiro é, de fato, simplista, mas isso que me fez gostar ainda mais dele, pois não tem a menor intenção de assumir uma complexidade shakespeareana. Se assim fosse, perderia seu charme ainda intocável e uma fã nova em pleno 2016.

Além da boa história, conta também com uma trilha sonora inesquecível (que pega qualquer um de jeito). Vale apena assistir, e principalmente, reassistir, pois até hoje Curtindo a Vida Adoidado continua sendo incrível e nos remete a muita nostalgia. O filme é um clássico e Ferris continua sendo um mito.

assinaturas 2015-05

 





dicas-2 category image
28 de outubro de 2016

Outubro rosa está quase no fim mas esse post NÃO poderia passar batido! Quem me segue em alguma rede social sabe que deixei o cabelo crescer à base de promessa: eu era viciada em cortar cabelo, só por uma boa causa eu aguentaria 1 ano inteiro sem modificá-lo, então  prometi deixar crescer, cortar e doar a algum projeto que fizesse perucas para mulheres ou crianças com câncer.

projeto-outubro-rosa

Como podem ver a promessa deu certo e eu REALMENTE deixei ele intacto, inclusive aprendi a gostar dele comprido mas PROMESSA É DÍVIDA e eu cortaria, mesmo assim! O próximo passo era pesquisar ao máximo opções de como doar cabelo em Manaus, escolher a minha e reunir em um post todas as informações para quem também tem esse desejo saiba exatamente o que fazer para realizá-lo.

Fiz o dever de casa e aqui embaixo vou compartilhar com vocês o que colhi. Hoje cortei meu cabelo no local que escolhi (@suzianecoiffeur) e com ela obtive mais informações sobre como funciona essa rede de doações em Manaus. É um trabalho muito bonito, alguns cabeleireiros trabalham com o GRAAC e outros com o LAR DE MARIAS mas os salões se ajudam entre si quando precisam de cabelo e está em falta para alguma das instituições.

cortes

Vamos às duas instituições que trabalham com pacientes com câncer em Manaus e aceitam doações de cabelos:

LAR DE MARIAS
Cuidam de mulheres com câncer. Segundo os dados que me passaram via fanpage, para doar pode ser qualquer tipo de cabelo, inclusive tingidos, com no mínimo 14cm. As doações podem ser feitas na própria sede da instituição durante todo o ano! É só ir lá.
Endereço: Rua Wenceslau Brás, 374 – Dom Pedro I Fone: 3238-5337 | Fanpage: lar.marias

GAAC-AM
Cuidam de crianças e adolescentes com câncer entre 0 e 17 anos de toda a região norte do país. Os requisitos para doação são o mínimo de 10cm de cabelo, sem restrição quanto à cor mas o mais natural possível (são crianças, afinal), basta pedir do cabeleireiro para amarrar a quantidade desejada em um elástico e entregar lá de segunda a sexta dentro do horário comercial.
Endereço: Av. Domingos Jorge Velho, nº 290 – D. Pedro II. | Contato: (92) 3659-5000.

AÇÃO DE ARRECADAÇÃO: Se você tem vontade de participar de uma ação dessas, é só criar coragem e levar 1kg de alimento não perecível ao Amanda Beauty do Manauara Shopping nos próximos dias 30 (domingo) e 31 (segunda) pois eles estão promovendo corte de cabelo gratuito para quem desejar doar seu cabelo. A ação beneficiará ao Lar de Marias! Saibam detalhes clicando aqui.

new-look

Não preciso nem dizer o quanto amei cumprir essa promessa e o quanto tô gostando do novo visual, já que tirei 893748 fotos só do caminho do salão para o trabalho. Eu escolhi um long bob com pontas na frente e mantive a franja lateral.

Já sabem todas as dicas, agora é só cortar a cabeleira e fazer uma boa ação, né? Não custa nada resgatar um pouco da auto-estima de outras pessoas para as quais o cabelo faz MUITO mais falta. Lembrando que para fazer uma peruca é preciso de mais de 3 doações, então quanto mais gente doando mais perucas são feitas :) Espero servir de inspiração pra muitos desapegos de cabeleiras!

assinaturas 2015-03

 

 

 

 

 

 

 

 





dicas-2 category image
27 de outubro de 2016

Não sei se vocês lembram, mas participamos do primeiro Correspondentes Kipling em 2013 representando a região norte e deste então temos um amor enorme por essa marca cheia de macaquinhos que deu a oportunidade de espalhar nossos DIY’s por todo o país logo no início do blog.

A novidade é que a seleção da IV Correspondente Kipling já começou e claro que não poderíamos deixar de avisar vocês né? Nosso sonho é ver uma leitora nossa representando lá 😀

Antes de mais nada, é muito importante vocês anotarem que as inscrições vão até o dia 31 de outubro e para participar é necessário que você escreva um post super legal sobre os produtos da marca e suas ocasiões de uso, em tudo bem explicadinho nesse link aqui. Além de ter um blog ou canal no youtube, né? Se tiver os dois melhor ainda!

img_1268

Ser Correspondente Kipling é como ser uma embaixadora digital da marca, você recebe todas as novidades antes, conhece a coleção e detalhes do lançamento em primeira mão e tem a oportunidade de escrever no Blog Kipling Oficial. Sem dúvidas é um trabalho delicioso, mas requer dedicação pois você precisa conhecer o universo da moda, cultura pop e como criar um conteúdo legal.

uqzzj-zl4kck3los40yh8vd87-rrf7vex1dno7mrzqmmwpeue4iaugqlu57zjax1deuieryde42ouw9_kynzwc

A equipe da Kipling é maravilhosa, desde as meninas do marketing aos funcionários das lojas, eles te dão todo suporte e te deixam livres para criar, fotografar, gravar… é tão incrível que morro de saudades até hoje!

Agora aqui vão algumas dicas para vocês arrasarem no post de inscrição:

USE E ABUSE DA CRIATIVIDADE – a nossa bloguesfera já está cheia de coisas repetidas, vale muito a pena inovar, buscar novos recursos, colocar toda a criatividade que tem dentro de você para fora. Coloque sua personalidade, faça montagens, fotos com um cenário legal, enfim! Use seu jeito único de ser, que vai valer a pena.

UM BOM TEXTO SEMPRE SERA UM BOM TEXTO – por mais lindo que seja seu layout e suas fotos, nada segura um blog que não tem um texto legal. Por isso é importante falar de um jeito claro, colocar sua identidade e claro se atentar no português, que com isso você já tem meio caminho andado. Pesquise, leia outros blogs, se aparecer uma informação nova, não tenha medo de corrigir.

BUSQUE REFERÊNCIAS – está sem ideias, não sabe o que fazer, bateu um bloqueio criativo? Busque referências! Não é errado se inspirar em algo ou alguém que você admira. Tire o dia para ver aleatoriedades, assistir a vídeos engraçados ou então algo que não tenha nada haver com o tema. As melhores ideias vem quando mais estamos relaxados, acredite!

hrtzgvofx9eb4ya67huuapqwzv2rsr_rzcvmaqq7ofsyfo5rd_gsfnwivcefhjbv6si_uevaivpszl-ehmswn0

Deixo agora uma fotinha com essas lindas que foram as primeiras Correspondentes, já fazem três anos que rolou esse encontrinho e o sentimento bom de ter feito parte desse projeto tão legal vibra até hoje.

Esse projeto ajudou muito nosso Chá a ser o que ele é hoje e acreditar que somos capazes de fazer coisas incríveis, além de me dar de presente amigas para vida toda. Então não perca tempo, respire fundo, escreve um post lindo e se inscreve!

Beijos e queijos!

assinaturas 2015-01





diy category image
26 de outubro de 2016

Halloween está aí e o carnaval não está muito longe, então é hora de colocar suas fantasias pra fora. As sereias são figuras mitológicas cheia de mistérios e encantos sempre presentes no imaginário das pessoas, então pensamos que muitas de vocês teriam vontade de se fantasiar como uma delas. Não tinham? AGORA VÃO TER!

s0

Vamos dividir nossas dicas para que essa ideia saia do papel, começando por um passo a passo de como reproduzir a make feita pela Mari na Nâna. Vocês vão precisar de uma paleta de sombras em tons fantasia, cola para cílios, glíter nas cores de preferência, meia arrastão (ou algum tipo de redinha), perolas do tipo “meia lua”, planas de um lado e fita crepe.

Passo 1:preparar a pele. Uma boa base, corretivo e pó compacto pra segurar a make e todo o brilho que virá a seguir. Passo 2: com um pincel largo (tipo de blush) aplique o tom fantasia escolhido rente à testa, nas laterais das bochechas e no maxilar. É legal criar uma ponta na parte de cima da cabeça para remeter a um peixe! Passo 3: aplique duas sombras de cores diferentes mas harmônicas entre si nas pálpebras, deixando no canto externo o tom mais escuro para criar profundidade. Delineador obrigatório! Cílio postiço opcional, nós usamos rímel, mesmo! Passo 4: hora de enfiar a cabeça numa meia arrastão ou fixar uma redinha/tela nas partes que deseja criar efeito de escama e aplicar outra cor fantasia no local.

14859444_1627170927308844_650555515_o

Também passamos cola para cílios próximo às saboneteiras para colar glíter e espalhamos pontos pelo colo para fixarmais pérolas, dando continuidade também no uso das sombras. Tanto no rosto quando nas regiões sobressalentes do colo, passamos iluminador (temporas, acima das sobrancelhas, saboneteiras, nariz pra dar um efeito molhado).

E aqui está o resultado! Lembrando que você pode escolher outros tons de cores, rosa, vermelho, amarelo, verde… não se limitem! O importante é ficar harmonioso!

s2

Agora vamos ao passo-a-passo de uma peça muito amorzinho para completar o look sereia, a coroa de conchas. Você vai precisar de uma tiara, feltro, correntes, perolas, búzios, caracóis, miçangas, cola-quente, esmalte e glíter. Eu não usei conchas porque não encontrei nos armarinhos que eu fui, se você encontrar me avisa que estou louca atrás delas haha! Ah! Essa lista de materiais pode variar de acordo com a sua criatividade e preferências, eu escolhi esses porque queria uma coroa de tom neutro que combinasse com qualquer look.

diy_tiara

Passo 1: recorte o feltro no formato de semi-circulo e cole a parte reta na tiara para formar a base onde vamos colar os caracóis. Essa tamanho vai variar do tamanho da sua tiara e dos caracóis. Passo 2: com a base da coroa já pronta, cole as correntes e pingentes como mostrado na terceira foto. As uniões e cola serão escondidos depois de colarmos as outras peças. Passo 3: antes de colar os caracóis e búzios  organize em uma superfície plana para ver se gosta de como eles ficam. Em seguida é só colar de acordo como organizou. Passo 4: nos espaços que o feltro ficar aparente cole as peças menores (perolas, miçangas, búzios) para dar acabamento. Passo 5: para finalizar passe uma camada de esmalte incolor e despeje o glíter, isso dará um efeito de molhado que faz toda a diferença.

sereiaona

Ficou tão bonitinha, né? (#orgulho) Quando postamos spoiler desse post  o instagram algumas pessoas perguntaram onde tínhamos comprado, mas aqui é tudo na base do DIY!

Agora vamos a outro detalhe importante: o traje! A boa notícia é que DÁ SIM pra aplicar o DIY na criação do seu traje ou de boa parte dele. O bustiê, por exemplo, é BEM fácil de fazer. O da Nâna ela fez cobrindo um sutiã velho com TNT roxo, usou cola de tecido pra maior parte do trabalho e apenas costurou a parte de traz, onde seria amarrado. Com cola de tecido também colocou lantejoulas nas bordas, dando mais brilho à roupa.

b2

Uma amiga nossa (um beijo, Anayra!) pegou a fantasia da Nâna emprestada e só usou o bustiê como inspiração, acabou fazendo outro usando basicamente TNT, conchas feitas de feltro, pincel e purpurina, super simples de reproduzir, hein? A ideia do sutiã é boa pra quem tem mais busto (não é o caso da Nâna, mas enfim hahah) para dar uma sustentação mas, de resto, dá pra improvisar legal usando a criatividade, à sua maneira.

b1

Ok, mas E A CAUDA? No caso da Nâna ela mandou fazer na costureira pois sua habilidade com costura  é praticamente nula. Mas ela pediu uma peça que dessa para ser usada mais vezes, então desenhou uma saia lápis de cintura alta comum que na borda interna inferior tivesse um velcro que pudesse ser unido à uma cauda feita de tule. Você pode mandar fazer uma saia longa tipo sereia brilhosa, explorar tecidos mais elásticos e etc.

s3

Dá pra combinar com as amigas e cada uma ser uma sereia “de uma cor”. Já pensou que lindo uma com cauda azul, outra verde, outra roxa, rosa… arraso na certa!

s5

Nos divertimos muito montando esse tutorial e a gente espera que vocês tenham gostado das dicas! Foram mais de 200 fotos, então deixaremos vocês com mais umas:

s4

Antes que você comece a pensar que a ideia é linda mas “não é pra você” por achar que fantasia de sereia só combina com gente branquela ou de cabelos compridos, eu deixo aqui de presente algumas fotos maravilhosas de um ensaio fotográfico lindo que surgiu na minha timeline essa semana. Tem um álbum inteirinho pra servir de inspiração aqui.

14859534_1627170453975558_1158114766_o

Se seguirem alguma das dicas pra arrasar nas festas temáticas da vida marca a gente #chadasphynas pra gente olhar! Amamos o feedback de vocês, SÉRIO!

Curtiu o post? Então compartilhe!
Acompanhe o Chá nas redes-sociais!
Facebook | Instagram